Coisinhas da Professora Ivanete

28 de abr de 2010

Demorei mas voltei... E agora trabalhando dobrado... Mais uma missão cumprida... Apresentamos a peça teatral com os alunos do 4º ano, confiram...

O COELHINHO QUE NÃO GOSTAVA DE ESTUDAR
Personagens: Coelhinho Juquinha, tia Coelha, João de Barro, coelhinha, carteiro e vários animaizinhos da floresta.
*Caracterizar as crianças; escolher um narrador.
Narrador – Era uma vez, num lugarzinho muito distante daqui e na época em que todos os animais falavam e iam as escolas, havia um coelhinho muito do teimoso. (pausa para o coelhinho dar uma corridinha) Na floresta, onde moravam todos os filhotes de animais só um ficava em casa, o coelhinho Juquinha.
Juquinha - Aprender a ler? Essa é boa. Para que? Eu não preciso disso, posso muito bem encontrar cenouras sem saber ler. Eu vou é me divertir, muito mais e posso até escolher onde, quando e como vou brincar.
Narrador – Todos os animaizinhos estavam indo a escola felizes e cantarolando... e passou o leão, a macaca, a coelhinha, o porco, a cabra, o cão...... até o lobo mau ia a escola.... e feliz da vida.
Animais cantando: (imitar os sete anões, os animais se colocam em fila enquanto cantam vão ao destino e erguem uma das pernas, depois outra e assim até acabar a música repetem duas vezes.
Eu vou, eu vou, para a escola agora eu vou, tanannantanananantananana eu vou, eu vou...
Coelhinha: Tem animaizinhos aqui na floresta e crianças que não gostam de estudar, que não gostam de ir para a escola. Não sei porque elas tem tanta preguiça! Xô preguiça, xô, xô, xô....
Narrador – E cantavam até uma música para espantar esta tal de preguiça.
Animais - (todos os animais cantam e fazem os gestos)
A danada da preguiça pode ser uma doencinha que pega nos adultos e também nas criancinhas, da uma moleza só querendo espreguiçar e só de falar nela da vontade de gritar: xô preguiça, vai te catar, xô preguiça, aqui não tem lugar... xô preguiça comigo não tem vez... xô preguiça vai pegar outro freguês... Tique tique tique tique tique taque xô preguiça eu preciso estudar . Tique tique tique tique tique taque xô preguiça eu preciso estudar.
Narrador - Todos os animaizinhos tinham ido à escola, Juquinha resolveu distrair-se e pensou:
Juquinha - Vou à casa da tia Coelha ouvir histórias. Eu adoro histórias.
Narrador - Juquinha chegou à casa da tia Coelha, bateu... bateu... Chamou... Chamou, ninguém respondeu. Tia Coelha tinha deixado um aviso na porta, mas Juquinha não sabia ler e pensou:
Juquinha - Com certeza tia Coelha foi fazer alguma visita. Vou embora.
Narrador - Aborrecido por não ter encontrado a tia em casa, e cansado de tanto andar, Juquinha com surpresa avista a tia.
Juquinha - Estou vindo de sua casa, tia Coelha. Que pena o senhor ter ido fazer visita justamente hoje.
Tia Coelha - Fazer visitas? Você não leu o aviso que coloquei na porta?
Narrador - Juquinha ficou muito desapontado e não respondeu. Tia Coelha se lembrou de que ele não sabia ler e explicou:
Tia Coelha – Olha Juquinha (aponta para o aviso que está na porta) Pois o aviso dizia: volto já, sente-se e espere um pouco.
Juquinha - Ah! Então é isso que os avisos dizem. Pois já sei, agora aprendi. Ninguém mais me engana, me passa a perna, me dá um nó. (fala e vai fazendo gestos)
Narrador - No dia seguinte Juquinha foi à casa do senhor João de Barro conversar um pouco. Seu João de Barro não estava. Mas, bem embaixo de sua casa, havia uma cadeira com um aviso.
Juquinha - Agora, já sei ler avisos. Senhor João de Barro volta já, vou sentar e esperar um pouco. Que horror! Ai, ai, nossa que horror. Sujei-me todo de tinta, por que não me avisaram?Por quê? (desapontado)
João-de-barro - Que é isto, Juquinha? Você não viu o aviso sobre a cadeira? Ah! Você não sabe ler, não é? Este papel na cadeira diz: Tinta fresca. Cuidado!
Juquinha - Como eu me enganei, mas agora eu não me engano mais. Já sei tudo sobre avisos. Estou expert...
Narrador – Juquinha foi embora.( pausa para Juquinha se distanciar atrás das árvores) De repente, abram alas minha gente, que do nada apareceu um carteiro desenfreado. E deixou alguma coisa para o coelho Juquinha. O que será?
Carteiro – (deixa a carta na caixa e diz) Só me faltava essa, entregar correspondência na casa de um coelho e de um coelho que não vai para a escola. Bom esse é o meu trabalho né. Até maiiiisss.
Narrador -. Quando Juquinha chegou em sua casa, viu a caixa do correio aberta. Dentro dela havia um papel.
Juquinha - - Já sei, não devo chegar perto da caixa, ela foi pintada de novo, aquele papel diz: tinta fresca. Vou passar bem longe. (sai de mansinho)
Narrador - No dia seguinte, Juquinha notou um movimento diferente. (pausa o coelhinho sai de sua casa e se esconde de arvore em arvore) Parecia que estava acontecendo alguma coisa fora do comum. Havia muitos animaizinhos passando na rua. Eles não tinham ido à escola, carregavam doces, balas, bombons e salgados. Juquinha resolveu ir ver aonde eles iam e começou a acompanhá-los às escondidas. Os animais estavam parando no meio da floresta. Debaixo de uma árvore, estendiam toalhas, colocavam os doces, salgados e bebidas.
Juquinha – Oba, um piquenique! (feliz, eufórico) Um piquenique! (bravo) E não me convidaram! (Juquinha se agacha em um canto e começa a chorar)
Narrador - A coelhinha sua amiga viu Juquinha chorando e lhe perguntou:
Coelhinha – Juquinha, você esta chorando. Por que você chora, heim Juquinha! Não fique assim meu amiguinho...
Juquinha - Eu não fui convidado para o piquenique, ninguém se lembrou de mim. Ninguém gosta de mim, não tenho amigos.
Coelhinha - Lembraram sim, Juquinha. Eu vi o carteiro colocando o convite na caixa do correio de sua casa, ontem. Como assim, você não leu o convite.
Juquinha - Então aquilo era um convite? Pensei que fosse um aviso sobre tinta fresca.
Coelhinha - Oras Juquinha, que vergonha! Você precisa aprender a ler.
Coelhinho - Então eu fui convidado para o piquenique, que bom! Pensei que eles tinham se esquecido de mim, eu preciso aprender a ler, preciso aprender a ler. Amanhã mesmo eu vou começar. Serei o primeiro a chegar à escola.
Coelhinha – Combinado! Amanhã vamos todos para a escola, você vai ver como é bem legal e aprendemos um montão de coisas. Mas agora vamos nos divertir, vamos cantar, pular, brincar e encher a pança, porque coelho que é coelho é muito comilão.




Narrador – E como os animais eram muito organizados, até instrumentos musicais tinham levado, e a festa começou deste jeito assim....

(animais com instrumentos musicais: violão, gaita guitarra, flauta, pandeiro... o leão, passa em frente as crianças tocando o violão, para declama seu verso-poema e sai tocando, e assim os outros animais)


Leão – Sou o rei da floresta
E também tenho o que falar
Vou a escola todo dia
E não me canso de estudar

Macaca – Quando vou a escola
Eu não quero nem pensar
Por que o que eu gosto mesmo
É do que está a cozinhar

(alguém grita Gulooooooooooso)

Lobo – Lá na escola também tem um lanche
Que é muito gostosinho
Que pena que não é...
Ensopado de porquinho...

Porco - Atividades, brincadeiras,
Histórias para contar
O importante é que todos gostam
Todos gostam de estudar

Cabra – Tudo lá na escola
É muito legal
Os colegas todos dizem
Isso é sensacional.....

Ursa – Venham todos meus amigos
Vamos todos nos divertir
Porque o importante da vida
É brincar, cantar e sorrir...

(todos os animais da floresta ficam juntos no palco e cantam e dançam a música... Tindolelê da Xuxa, quando acaba a música os animais voltam a sentar e continuam o piquenique).

Todo mundo tá feliz?Tá feliz!Todo mundo quer dançar?Quer dançar!Todo mundo pede bis Todo mundo pede bisQuando para de tocarMais um! Mais um!
Todo mundo tá feliz?Tá feliz!Todo mundo quer dançar?Quer dançar!Todo mundo pede bis Todo mundo pede bisQuando para de cantar
Batendo palmaE dando um grito Hei!Levanta a mão passando energiaBatendo palmaE dando um grito Hei!Levanta a mão passando energia
Eu quero verLevanta a mãoVem balançando, balançando a multidãoEu quero ver TindolelêNheco NhecoXique Xique Balancê
Eu quero, eu quero, eu quero verLevanta a mãoVem balançando, balançando a multidãoEu quero ver TindolelêNheco nheco Xique xiqueBalancê
Iê, iê, iê, iê,TindolelêNheco nhecoXique, xiqueBalancêIê, iê, iê, iê,TindolelêNheco nhecoXique, xiqueBalancê

Narrador – E assim fizeram, pularam, brincaram de roda, comeram, cantaram, dançaram e se divertiram muito, e o melhor de tudo é que o coelhinho Juquinha estava muito, mas muito feliz de começar a estudar.

Coelhinha – E esta era a história do era uma vez quem quiser ouvir de novo que conte outra vez.

Adaptação: Ivanete Bison

Teatro: "O coelhinho que não gostava de estudar"

O coelhinho Juquinha e sua amiguinha... Nossa, esse teatro foi muito legal, os alunos se empenharam nos ensaios e muito mais nas apresentações. Foram três dias de apresentações para todas as escolas do centro da cidade. Estão de Parabéns, estou muito orgulhosa deles, meus pequenos grandes artistas. Foi um misto de empolgação, nervosismo, bagunça, deslizes, mas, no final deu tudo certo. Eu adoro todos vcs meus pequenos atores.... Ah, e olha que a globo vai ficar de olho em vcs... Beijos da profe....





Animais no piquenique...
O carteiro entregando a correspondência na casa de Juquinha...













Teatro: "O coelhinho que não gostava de estudar"

Juquinha foi até a casa do Sr. João de Barro
Juquinha desanimado...

Prestando muita atenção para não perder nada...


Os animais cantando "Xô preguiça"



Cantando - Eu vou, eu vou, para a escola agora eu vou...



Teatro: "O coelhinho que não gostava de estudar"
















Teatro: "O coelhinho que não gostava de estudar"
















Teatro: "O coelhinho que não gostava de estudar"